segunda-feira, 31 de maio de 2010

Aniversário do Coral e Orquestra Jubal

AD-Belém em Vila Espanhola comemora
53 anos do coral e 13 anos da orquestra
No sábado houve uma audição, onde foi contado a história da Harpa Cristã.
cada naipe louvou ao Senhor com trechos de hinos da Harpa.
Muitos convidados compareceram e prestigiaram o evento
realizado nos dias 29 e 30 de maio.
O Coronel PMSP Renato - Comandante Geral do Corpo Musical da Polícia Militar do Estado de São Paulo - Foi o preletor da noite de sábado
e o pastor Eliel Soares (USA) ministrou a Palavra, no domingo. 
O Maestro Clebio de Azevedo agradeceu à Deus por mais esta data, ao ministério pelo apoio, a todos os componentes pela dedicação e a igreja pelas orações. O pastor Daniel Rocha (setorial), parabenizou o grupo e louvou ao Senhor por esta oportunidade. 
Clique nas fotos para amplia-las
 
 
 

 

Como parte desta confraternização foi realizado um jantar no salão social do setor.



Fotos enviadas por Megui - Componente da orquetra

domingo, 30 de maio de 2010

Convenção Geral das Assembleias de Deus marca reunião extraordinária para encerrar polêmica Silas Malafaia

     A Mesa Diretora da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), presidida pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa, reuniu-se nesta semana passada na sede administrativa da instituição, no Rio de Janeiro. Na ocasião, foi aprovada uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para os dias 7, 8 e 9 de setembro do corrente ano, em Campo Grande (MS).
     Nesta AGE, será resolvida a questão da vacância da 1a vice-presidência da CGADB, função que ficou vaga oficialmente desde a tarde de 17 de maio, com a chegada na sede da CGADB da carta de renúncia do pastor Silas Lima Malafaia, renúncia esta que ele já havia anunciado antecipadamente em seu programa televisivo Vitória em Cristo, em rede nacional, em 15 de maio.
     Na reunião da Mesa Diretora, foi confirmada também para abril de 2011 uma Assembleia Geral Ordinária (AGO) da CGADB em Cuiabá (MT). Mais detalhes sobre a AGE de setembro de 2010 e a AGO de abril de 2011 na edição de julho do jornal Mensageiro da Paz.
Fonte: CPADNews

AD em São Paulo, Ministério do Belém batiza 1.622 em Maio

     O Estado de São Paulo, recebeu a Assembleia de Deus no ano de 1.927, sendo assim em 2010 a igreja completa 83 anos de profícuo trabalho e grandes resultados, prova disso é o crescimento e a presença de uma congregação da AD em todas as cidades, municípios, bairros e vilas do Estado.
     Com milhares de membros e obreiros, como em todo país, a AD é a maior igreja evangélica do Estado, quatro convenções regionais lígadas a CGADB fazem o intercâmbio e a união dos ministros de todo estado, sendo elas CONFRADESP, Convenção Fraternal inter-estadual das ADs do Ministerio do Belém no Estado de São Paulo; COMADESPE, Convenção dos Ministros das ADs no Estado de São Paulo; CIEADESPEL, Convenção das Igrejas Evangélicas ADs no Estado de São Paulo e Estados Límitrofes e a COMOESPO, Convenção dos Ministros Ortodoxos do Estado de São Paulo.
     O Ministério do Belém é o maior ministério das ADs no Brasil, líderado há 30 anos pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CONFRADESP e CGADB, com sua sede no bairro do Belenzinho, o ministério somente na capital e grande São Paulo é composto por 2.160 congregações.
     Como prova deste crescimento, bimestralmente é realizado o batismo em águas, onde cerca de 1,5 mil novos crentes em média, descem ás águas batismais, como aconteceu na manhã deste domingo, 30 de maio, onde mais 1.622 irmãos passaram a fazer parte do rol de membros da igreja.
     A cerimônia nesta ocasião foi dirigida pelo vice-presidente da igreja, pastor José Wellington Costa Junior, que além de dirigir o culto, ministrou a palavra de Deus e também participou de uma das equipes de pastores setoriais que efetuaram o batismo. Na reunião que superlotou o atual templo-sede da igreja com aproximadamente 4 mil pessoas entre os batizandos e acompanhantes. Após a mensagem da palavra de Deus 4 pessoas decidiram aceitar a Jesus como seu único e suficiente Salvador.
Fonte: pastorwellingtonjunior.blogspot.com

Divulgada carta de renúncia do Silas Malafaia ao cargo de 1º Vice-Presidente da CGADB

Silas Lima Malafaia, brasileiro, casado, Pastor Evangélico, Presidente da Igreja Assembléia de Deus da Penha, Vice-Presidente do Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil e Presidente da Associação Vitória em Cristo, membro da CGADB registrado sob o nº 005887, vem, em atendimento ao disposto no art. 7º, inciso IV do Estatuto da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil e seus demais artigos, em termos e tempestivamente, requerer seja realizada a

N O T I F I C A Ç Ã O E X T R A J U D I C I A L
para fins específicos de
P E D I D O D E D E S L I G A M E N T O E R E N Ú N C I A
da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, de sua Mesa Diretora e seu Presidente - Pr. José Wellington Bezerra da Costa, com fundamento nas razões de fato de direito que passa a expor:

1 – A CGABB - Notificada, como é de conhecimento geral, tem como uma de suas finalidades inscrever e credenciar como membros, os ministros das Assembleias de Deus no Brasil, exercendo ação disciplinar sobre os mesmos, conforme normas estabelecidas neste Estatuto e Regimento Interno; (Art. 3º, inc. IX, Estatuto da CGADB)

2 – Considerando tal fato e minha condição à época, de Vice-Presidente da Igreja Assembleia de Deus da Penha, tornei-me membro regular e atuante da Convenção Evangélica das Assembleias de Deus no Estado do Rio de Janeiro - CEADER, e, por conseguinte, da própria CGADB, tendo sempre atuado em conformidade com suas diretrizes e normas; (Art. 5º e Art. 5º § 3º, Estatuto da CGADB)

3 – Durante todo o período em que fui membro da CGABB - Notificada, cumpri integralmente meus deveres estatutários (Art. 8º, Estatuto da CGADB), bem como nunca pratiquei nenhuma das condutas vedadas pelo Estatuto Social da mesma; (Art. 9º, Estatuto da CGADB)

4 – Ao contrário, sempre atuando de maneira honesta, íntegra, inequívoca e cristalina, busquei o melhor para a CGADB – Notificada e seus membros. Precisamente por esse motivo, ainda no ano de 2008, me sentindo na obrigação de não ser omisso em relação ao descalabro financeiro vigente na CGADB – Notificada, formulei diversas denúncias, as quais foram integralmente reafirmadas no Plenário da Convenção da CGADB – Notificada no ano de 2009;

5 – Exatamente em razão da conduta reta, ilibada e cuidadosa, bem como em razão de meu indiscutível comprometimento com a CGADB – Notificada e seus membros, submeti, com sucesso destacado, meu nome ao crivo dos demais membros nas últimas eleições. Em razão de minha vivência enquanto Pastor Evangélico a frente da Igreja Assembleia de Deus da Penha, membro atuante da CEADER – Convenção Evangélica das Assembleias de Deus no Estado do Rio de Janeiro e da própria CGABB – Notificada, logrei ser eleito para o cargo de Primeiro Vice-Presidente da CGADB, o qual honrosamente ocupei e ao qual me dediquei com zelo e afinco inquestionáveis, realizando, com sucesso, todas as atribuições a ele destinadas;

6 – Entretanto, passados tantos anos, é com extremo pesar e o mais sincero desalento que, consternado, me vejo forçado a renunciar ao cargo de Primeiro Vice-Presidente da CGADB e a formular meu pedido de desligamento da mesma;

7 – Necessário se faz destacar que tão penosas atitudes têm como um dos motivos principais os desmandos administrativos, que fazem com que a CGADB – Notificada tenha hoje seu nome “negativado” junto aos órgãos de proteção ao crédito, padecendo até mesmo da suspensão de cheques para as contas bancárias da mesma e esteja, atualmente, com diversos tributos em aberto e não pagos;

8 – Não se pode olvidar que o maior patrimônio de um homem é o seu nome. Nesse sentido, textualmente, a Bíblia diz que: “Mais vale um bom nome a muitas riquezas” (Provérbios 22,1) e, ainda, “Cuida do teu bom nome, porque ele te acompanha, é mais do que milhares de tesouros preciosos.” (Eclesiastes 41,12);

9 – Nesse contexto, não posso aceitar que, de nenhuma forma, sob nenhum argumento, possa vir a ser responsabilizado, considerado envolvido ou conivente, em algum momento futuro, por questões que não tenho o poder de decidir, corrigir ou evitar, mas que, pela função por mim exercida, podem, ainda que indiretamente, atingir-me se, nada fizer;

10 – Nos exatos termos acima descritos, desde o ano de 2008 venho denunciando à Presidência, à Mesa Diretora e ao Conselho Fiscal, diversas e graves irregularidades, as quais depõem contra a CGABB – Notificada e que não podem ser toleradas. Tais denúncias, por oportunidade da última Convenção da CGADB, restaram integralmente comprovadas em trabalho realizado por comissão formada para esse fim, cujo relatório só foi aprovado com as ressalvas e obrigações de apresentar balancetes;

11 – Lamentavelmente, mesmo em face das denúncias que fiz e das conclusões obtidas e tornadas públicas na última Convenção da CGADB, o descalabro administrativo-financeiro continua. A mesma CGADB que exige de seus membros que tenham e mantenham seus nomes impolutos, hoje, pelos absurdos praticados em sua administração, não ostenta tal condição!

Sendo assim e por todo o exposto, considerando que é direito de qualquer dos membros da CGADB pedir o seu desligamento, desde que cumprindo com a obrigatória devolução da credencial e com a quitação de eventuais débitos na tesouraria da Convenção Geral (Art. 7º, inc. IV, Estatuto da CGADB), venho, pelo presente instrumento, na melhor forma de direito:

requerer meu desligamento da CGADB, assumindo, desde já, e expressamente, o compromisso de apresentar, em prazo razoável e menor possível, o documento de anuência da CEADER, quando então, deverei oferecer à devolução a credencial recebida por mim na Secretaria da CGADB mediante termo de entrega;

requerer minha renúncia do cargo de Primeiro Vice-Presidente da CGADB, para o qual fui eleito e cujas funções exerci até a presente data;

requerer à Mesa Diretora da CGADB que proceda, através de Resolução a ser publicada no Boletim Reservado, a homologação de meu desligamento; (Art. 30, inc. IV, Estatuto da CGADB)

Feita a NOTIFICAÇÃO ora pleiteada, venho requerer, ainda, a entrega a seu subscritor, independentemente de traslado, para fins de futuros procedimentos judiciais.

Termos em que,
Pede Deferimento.
Rio de Janeiro, 13 de maio de 2009.

Pr. Silas Lima Malafaia

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Líderes cristãos divididos sobre conflito das Coreias

Há receio de que os dois países entrem em guerra de fato, prejudicando milhares de pessoas

     Os líderes cristãos coreanos estão profundamente divididos sobre a atual tensão entre as Coreias do Norte e do Sul. Uns culpam a Coreia da Norte, enquanto outros se preocupam com a possibilidade de retaliação da Coreia do Sul, o que resultaria em uma onda de confronto na qual a população seria a amais prejudicada. O secretário do Conselho Nacional de igrejas na Coreia pediu que os governos sejam cautelosos.
     O Presidente Lee Myung-bak tomou medidas duras contra a Coreia do Norte, em 24 de maio, cortando os acordos comerciais, em retaliação ao ataque de torpedo no navio Cheonan que matou 46 marinheiros sul-coreanos.
     Em contrapartida, a Coreia do Norte ameaçou bloquear todas as relações com a Coreia do Sul, declarando que ela pode começar a lidar com novos assuntos em "pé de guerra”.
     Líderes protestantes conservadores do Sul manifestaram apoio total ao presidente Lee, que é protestante. O presidente do Conselho Cristão da Coreia, disse que muitas pessoas temem uma possível guerra, mas acrescentou que "a Coreia do Norte merece essas medidas e deve aprender uma boa lição com isso". E ressaltou: "Mesmo estando distante das disputas políticas das Coreias, nosso papel como cristãos é orar para que Deus entre com providência, pois sempre em uma guerra a população é a mais atingida".
Oremos em favor dos governantes e de nossos irmãos coreanos.
Fonte: Persecution / Redação CPADNews

Espanhóis criam abrigos para se proteger do "fim do mundo"

     Um grupo de pessoas na Espanha se juntou para construir abrigos em diferentes pontos do país para se proteger do que eles acreditam que será o fim do mundo, na data profetizada pelos maias, 2012. Não importa se a profecia falhar: eles têm certeza de que diante das mudanças climáticas, dos desastres naturais, da instabilidade das manchas solares e da ameaça nuclear, convém ter um refúgio.
     "Não somos apocalípticos, mas queremos evitar os riscos. Um país como a Espanha, que tem centrais nucleares que são alvo da Al Qaeda, não conta com um nível de segurança muito alto diante de uma grande catástrofe", explicou à BBC o presidente do Grupo de Sobrevivência da Espanha 2012 (GSE), Jonatan Bosque.
       "Na Suíça, toda nova construção vem com seu bunker. Aqui, quem tem este tipo de refúgio são pessoas endinheiradas. Somos uma organização não-lucrativa e o que queremos é que os bunkers estejam ao alcance de todos", acrescentou.
     Três anos em um bunker
     O GSE conta com 180 sócios e vários projetos nas serras de Madri, Granada e Aragão. Os bunkers, subterrâneos e construídos como cavernas nas montanhas, estão protegidos por uma capa de 60 centímetros de concreto e contam com filtros de partículas radioativas para evitar a infiltração de resíduos tóxicos ou a passagem de radiação ou bactérias.
     Além disso, os refúgios têm geradores elétricos que funcionam a diesel, sistemas de refrigeração e dispensas para mantimentos, sementes e plantas.
     "É possível permanecer até três anos em seu interior respirando ar puro, mas tudo depende da capacidade de gestão dos ocupantes, dos alimentos. Você não vai encontrar iogurtes desnatados te esperando", ressaltou Bosque.
     "A questão é que se você está diante de uma catástrofe, como a explosão de Tchernobil, você não vai poder sair durante vários anos."
     Preços
     O catálogo dos bunkers inclui um inspirado no metrô de Londres, que é vendido nas versões família (54 metros para 24 pessoas) e comunitária (600 metros para 150 pessoas). Os bunkers são projetados para serem cravados na montanha, como se fossem os quartos de um barco que vai enfrentar uma grande inundação.
     "Os bunkers grandes podem custar por volta de US$ 150 mil (cerca de R$ 275 mil) e os pequenos por volta de US$ 4.000 (R$ 7.300). Com um montante entre US$1.800 (cerca de R$ 3.300) e US$ 3.000 (cerca de R$ 5.500) por pessoa pode-se ser proprietário de um bunker", explicou o responsável do grupo.
      "Porém, não é uma casa. Seu uso é para emergências. Para ter acesso aos bunkers é preciso pertencer à cooperativa, assim evitamos especulações com os preços."
     Neste sentido, o GSE 2012 planeja arrecadar dinheiro de empresas para que este tipo de refúgio tenha acesso público e seja financiado pelo Estado.
     A profecia maia
     Depois de ver o filme "2012", sucesso de bilheteria e que foi inspirado nas profecias maias, que mostra um mundo de cidades destruídas e mares revoltos, Bosque saiu convencido de que tinha visto uma comédia.
     "É muito exagerado, mas acreditamos que há um aumento dos desastres naturais como consequência da atividade das manchas solares", afirmou.
     "A própria Nasa anunciou uma tormenta solar sem precedentes para 2012. Provavelmente ficaremos sem luz e nosso estilo de vida vai entrar em colapso, mas também existem vozes, como a do escritor holandês Patrick Geryl, que falam em uma inversão dos pólos magnéticos da terra, com consequências geológicas drásticas", explicou Bosque.
     "Não é para construir um bunker para se sentir seguro. Tem de se desenvolver protocolos de atuação para todo tipo de catástrofe, por mais remotas que elas pareçam, como as tormentas solares."
      "Há pouco tempo a Província de Gerona, na Catalunha, ficou sem luz por causa de uma nevasca. Eles sabiam que o cabeamento elétrico tinha de ser trocado porque estava obsoleto, mas não o fizeram."
      Fonte: Folha Gospel / Folha Online

CGADB marca assembleia para decidir quem ocupará vaga deixada por Silas Malafaia

     A Mesa Diretora da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), presidida pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa, reuniu-se ontem e hoje na sede administrativa da instituição, no Rio de Janeiro. Na ocasião, foi aprovada uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para os dias 7, 8 e 9 de setembro do corrente ano, em Campo Grande (MS).
     Nesta AGE, será resolvida a questão da vacância da 1a vice-presidência da CGADB, função que ficou vaga oficialmente desde a tarde de 17 de maio, com a chegada na sede da CGADB da carta de renúncia do pastor Silas Lima Malafaia, renúncia esta que ele já havia anunciado antecipadamente em seu programa televisivo Vitória em Cristo, em rede nacional, em 15 de maio.
     Na reunião da Mesa Diretora, foi confirmada também para abril de 2011 uma Assembleia Geral Ordinária (AGO) da CGADB em Cuiabá (MT). Mais detalhes sobre a AGE de setembro de 2010 e a AGO de abril de 2011 na edição de julho do jornal Mensageiro da Paz.
Fonte: CPAD News

Ex-astro mirim morre após cair de escada

Morre o ator Gary Coleman -série 'Minha família é uma bagunça'- aos 42 anos, após cair de uma escada Segundo o TMZ, a mulher do ator autorizou o desligamento dos aparelhos que o mantinham vivo após o acidente.
Por Carlos Lima

     O ator Gary Coleman, ex-astro infantil famoso por sua participação na série “Minha família é uma bagunça” morreu ao meio-dia desta sexta-feira, 28, de hemorragia cerebral, após cair de uma escada em sua casa na quarta-feira, 26 de maio. Ele tinha 42 anos.
     "O senhor Coleman sofreu uma hemorragia intracraniana em sua residência de Utah na tarde do dia 26. Ao meio-dia do dia 27 estava consciente e lúcido, mas à tarde perdeu a consciência e sua situação piorou", explicou Janet Frank, porta-voz do hospital, em comunicado.
     "Membros da família e amigos próximos estavam ao seu lado quando os aparelhos que o mantinham vivo foram desligados", disse um comunicado do hospital. "Os membros da família expressam seu agradecimento pelo apoio e pelas orações por Gary e por eles."
     No mesmo dia em que foi internado o ator teria sido submetido a uma cirurgia de emergência, e desde quinta, 27, estava em coma no hospital Utah Valley Regional Medical Center, na cidade de Provo, em Utah, nos EUA. A autorização para o desligamento dos aparelhos que o mantinham vivo veio de sua mulher, com quem ele era casado desde 2007.
     Na quinta-feira, 27, ele estava "consciente e lúcido", segundo o comunicado do hospital, "mas no começo da tarde deste mesmo dia o sr. Coleman começou a perder a consciência e sua condição piorou".
      Coleman sofria de uma disfunção renal que o impediu seu crescimento - ele media 1,42 m -, o obrigava a fazer diálises frequentes e o levou a fazer dois transplantes.
     A carreira
     Gary Coleman surgiu como protagonista da série “Minha Família é uma Bagunça”, produzida entre 1978 e 1986. Devido a seu problema de saúde, ele parecia ser uma criança de oito anos até o último ano da serie. No auge de sua fama, estrelou a série de TV "Different Strokes" (no Brasil, o título era "Arnold", nome de seu personagem).
     O sucesso foi enorme e Coleman tornou-se o ator-mirim de maior sucesso em sua geração.
     Fez cinco longas-metragens entre 1980 e 1985 e, em 1982, ganhou seu próprio desenho animado - The Gary Coleman Show , exibido no Brasil pela extinta Rede Manchete, com o nome Andy, o Anjinho da Guarda. Ele vivia um anjinho que vinha para a Terra ajudar as pessoas.
     Desastre na vida pessoal
     Quando a série foi encerrada, Gary jamais reencontrou o sucesso, pois deixou de ser uma criança fofa e tornou-se um personagem estranho. Mesmo assim trabalhava, fazendo participações em outros seriados e filmes. Tomado por depressão, tentou o suicídio duas vezes e mais tarde processou seus pais e empresário por roubarem todo o seu dinheiro.
     Em 2001, falido e com dívidas, arrumou um emprego como segurança também em um shopping de Los Angeles. Em 2003 concorreu como piada ao governo da Califórnia e perdeu para um outro ator, Arnold Schwarzenegger.
     Sempre envolto em problemas, em janeiro de 2010 foi preso acusado de violência doméstica. Mas a imagem que fica é mesmo a do menino fofo e engraçado que foi Gary quando surgiu na tela da TV.
O Galileu / Com informações do EGO / Último segundo / EFE

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Editorial Patmos, braço da CPAD na América Latina, lança novos títulos

     Em meio a uma recessão econômica que se espalhou por todos os Estados Unidos e países da América Latina, os membros da indústria de produtos cristãos voltados para o mercado hispano se reuniram para a Expolit 2010, em Miami, de 13 a 18 maio, com um foco renovado e produtos de alta qualidade com preços acessíveis. A CPAD, através da Editorial Patmos, fundada há 11 anos como seu braço para os EUA e a América Latina, foi um dos destaques. Como faz já há dez anos, ela esteve presente, apresentando dezenas de novos títulos.
     “A onda agora é de otimismo", disse durante o evento David Ecklebarger, diretor-executivo da Associação de Produtores para a Igreja Evangélica Hispana (SEPA, na sigla em inglês). “Houve uma indicação de um sentimento mais positivo lá fora. No ano passado, houve tanta incerteza sobre o futuro, mas este ano houve um sentimento de maior confiança”, afirma Ecklebarger. Muitas editoras evangélicas de língua espanhola registraram crescimento significativo em 2009.
     O vice-presidente da Expolit, Marie Tamayo, acrescentou que as inscrições para a Convenção Anual do dia 18 subiram cerca de 30% em relação ao ano passado. Isso foi impulsionado por uma forte ênfase nas áreas de juventude, família e mídia de eventos, com uma grande variedade de palestrantes e músicos de primeira linha, como os preletores pastor Luis Palau e Kirk Cameron. Outros palestrantes deste ano foram Jentezen Franklin, Priscilla Shirer, Cash Luna, Alberto Delgado, Norma Pantojas, Ray Matos e Sixto Porras. No louvor, Marco Barrientos, Álvaro Torres, Jon Montalban, Samuel Hernández, Face 2 Face, Lizzie Lizzie e Nancy Amancio.
     Este ano, a Expolit também fez uma parceria com a Confederação Latino-Americana de Comunicadores Cristãos e Mídia de Massa (COICOM) para mais presença e ação em rádio, televisão e internet.
  Fonte: CPAD News

Veículo híbrido pode ser produzido para atender a Copa e as Olimpíadas no Rio

     O primeiro ônibus movido a hidrogênio com tecnologia nacional foi lançado nesta quarta-feira (26), no Rio de Janeiro. A tecnologia foi desenvolvida pelo Instituto de Engenharia (Coppe) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O objetivo é ter o ônibus como opção de transporte sustentável na capital fluminense até a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas, em 2016.
     O equipamento ainda tem um custo superior aos ônibus comuns, mas a estimativa do coordenador do projeto, Paulo Emílio de Miranda, professor da Coppe, é de que essa diferença diminua a partir da produção em escala. "Por enquanto, é só um protótipo, não há como comparar com a produção industrial", disse.
     Um dos maiores benefícios desse transporte alternativo é a emissão zero de gases ao meio ambiente. O hidrogênio gera eletricidade a partir de uma pilha. Ela também pode ser recarregada na rede elétrica comum. Além disso, o próprio movimento do ônibus gera eletricidade, que ajuda a recarregar as pilhas. "A pilha combustível é um eficiente conversor de energia. Esperamos que ela represente para o século 21 algo parecido com que o computador representou para o século 20", disse Miranda.
     A Petrobras fez parte das pesquisas para o desenvolvimento do uso do hidrogênio como combustível. De acordo com Paulo Neves, do centro de pesquisas da Petrobras (Cenpes), a estatal acredita que o hidrogênio vai passar a fazer parte da matriz energética do país, no médio e no longo prazos. "O investimento nesse projeto está alinhado com o objetivo da Petrobras de sair apenas da área de petróleo e se tornar uma empresa de energia", disse Neves.
     Esse é o primeiro de uma série de três ônibus desenvolvidos pelo Laboratório de Hidrogênio da Coppe, junto com a Secretaria de Estado de Transportes. O segundo ônibus será elétrico híbrido a álcool e o terceiro, exclusivamente elétrico.
     A secretária de Ambiente do Estado do Rio, Marilene Ramos, acredita que os ônibus com baixa emissão de gases são alternativa boa para o Rio de Janeiro, onde a rede de transportes é muito baseada em ônibus, já que as linhas de metrô atingem cerca de 10% do que seria o ideal, segundo ela. "Não podemos continuar achando que o meio ambiente pode pagar a conta sozinho. Se necessário for, vamos buscar fundos com a iniciativa privada e com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para buscar a comercialização", disse Marilene.
Fonte: CPAD News / Valor Online/Extra Online

Pastor batista é espancado até a morte na Rússia

Golovin estava a caminho de uma visita a um membro da igreja quando foi atacado

     Em São Petersburgo, na Rússia, os amigos e a família do pastor Yuri Golovin estão de luto pela sua perda depois que ele foi espancado até a morte, segundo informou a Mission Network News (MNN).
     A Associação Evangelho Eslavo e a União Russa Evangélica de Cristãos Batistas (UECB) informou que Golovin, 76 anos, estava a caminho de uma visita a um membro da igreja idoso, quando assaltantes desconhecidos o atacaram.
     Após o ataque, Golovin ainda conseguiu chamar alguns membros da sua igreja, que chamaram uma ambulância. No entanto, o pastor acabou morrendo mais tarde no hospital por causa de seus ferimentos.
     Embora não tenham sido confirmados os motivos, a International Christian Journal relatou que os assaltantes podem ser viciados em drogas.
     Oremos para que Deus conforte a comunidade de crentes ali, para que os responsáveis pelo ataque sejam levados à justiça e para que vidas sejam despertadas depois desse episódio.
    Fonte: CPAD News / Christian Telegraph

Polícia Federal prende falsa freira em Niterói

Mulher de 77 anos tentava sacar R$1,859 milhão. Outros dois homens também foram presos durante operação.

     A Polícia Federal prendeu em flagrante nesta quinta-feira (26) uma mulher de 77 anos, que estava vestida de freira, e tentava sacar um título de dívida pública de R$1,859 milhão, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio.
     A suspeita, segundo a PF, se passava por uma freira de 85 anos, titular do precatório, que vive em um convento de Campina Grande, na Paraíba.
     Um homem de 44 anos também foi preso, pois estava do lado da falsa freira durante o saque. Um outro suspeito, que seria responsável pela obtenção dos documentos que permitiriam o saque, também foi detido quando tentava fugir em um taxi.
     De acordo com a PF, a investigação vai continuar para que outros possíveis suspeitos sejam identificados.
     Fonte: G1 / O Verbo

Radicais hindus destroem templo em construção

     ÍNDIA – Uma igreja ainda em construção em Anantpur, Andhra Pradesh, foi demolida no dia 23 de maio, domingo, às 9h, por um grupo de radicais hindus. Eles também colocaram um ídolo de Hanuman, um deus hindu, à esquerda do que seria o templo.
     De acordo com o Global Council of Indian Christians (GCIC), a igreja foi destruída por integrantes do Rashtriya Swayam Sevaks (RSS), um grupo radical hindu, apesar do fato de os cristãos possuírem todos os documentos necessários para construir o templo no local.
     “Eles não gostaram que o templo fosse construído naquele local, então eles decidiram atacá-lo e destruí-lo, e ainda colocaram um altar para um deus hindu”.
     O pastor Vijay, líder da igreja, e outros cristãos, foram até a delegacia mais próxima para procurar ajuda, mas os policiais se recusaram a registrar uma ocorrência contra os hindus radicais.
Fonte: Missão Portas Abertas

Menino de 2 anos fuma 40 cigarros por dia.

     Foram divulgadas nesta quarta-feira as primeiras imagens do menino indonésio Aldi Suganda Rizal, de apenas 2 anos. O garoto é viciado em cigarros desde os 18 meses, quando recebeu o primeiro maço de seu pai, Mohammed
Por Sheila Bastos
     Hoje, Aldi fuma 40 cigarros por dia. Segundo sua mãe, Diana, o menino é tão viciado que, quando é proibido de fumar, grita e bate com a cabeça contra a parede, além de queixar-se de tonturas e enjoos.
    "Ele trata os cigarros como outra refeição", disse Diana. "Eu tento distraí-lo com brinquedos e jogos, mas nada funciona."
     Para o pai, Aldi parece muito saudável. Ele não vê problemas no vício do menino, pelo contrário, orgulha-se. "Ele fuma como um adulto. Já aprendeu a soprar anéis de fumaça e sopra fumaça pelo nariz", diz Mohammed.
     O Galileu com informações da Veja / R7 / The Sun

terça-feira, 25 de maio de 2010

Pastor evangélico é suspeito de abusar de adolescentes

     O pastor da Igreja Assembléia de Deus de Costa Marques, interior de Rondônia, identificado como Anísio Carvalho Rodrigues está sendo acusado de aliciar as adolescentes que freqüentam a congregação.
     Uma das vítimas teria sido a jovem L.S.G., 15 anos, que vinha sendo assediada pelo suspeito desde que tinha 11 anos. Conforme a ocorrência n° 582/2010, Rodrigues convenceu a adolescente ir até a casa dele, onde passou a acariciar o corpo dela. A jovem reagiu e o pastor ameaçou matar o avô dela que mora em Cerejeiras, caso o fato chegasse ao conhecimento da polícia.
     A vítima não se intimidou com as ameaças, comunicou a mãe e esta procurou a delegacia. Ao término do registro da ocorrência, chegou outra moça, identificada pelas iniciais P.S.C., que disse também ter sido abusada pelo por Anísio Carvalho Rodrigues.
     Capital
     Uma mulher identificada pelas iniciais C.C.N., idade não divulgada, procurou a delegacia do 7° DP em Porto Velho para registrar queixa de estupro. Segundo a suposta vítima, o ato de brutalidade sexual teria sido praticado por um homem de nome Adriano.
     Segundo a versão da mulher, o suposto estuprador invadiu a casa dela, no bairro Aeroclube, zona Sul, com uma arma de fogo e praticou o crime. A ocorrência é a de n° 3037/2010.
     Fonte: Folha gospel / Rondônia Agora

Comercial de cerveja causa polêmica ao mostra Deus como argentino.

     Um comercial da cerveja Quilmes, patrocinadora oficial da seleção de futebol da Argentina, provoca polêmica ao mostrar “Deus” como sendo argentino. A propaganda, entitulada “Diós”, passou a ser veiculada neste fim de semana na Argentina relaciona Deus a momentos marcantes da seleção na história das Copas.
     “Para a Quilmes, assim como para todos os argentinos, a Copa do Mundo é uma ocasião muito especial”, diz Diego Belbussi, diretor de marketing da empresa. “Estamos seguros que esta propaganda deixará uma mensagem de confiança sobre a história, o presente e o futuro da seleção.”
     No comercial, uma voz vinda dos céus fala à população que foi sim responsável por lances históricos nas Copas do Mundo, como a bola na trave que evitou a derrota da Argentina para a Holanda no último minuto da final da Copa de 1978, ou a série de bolas que chutadas na trave pelos jogadores do Brasil durante a partida contra os argentinos no Mundial de 1990. “Sim, fui eu”, diz a “voz” no comercial.
     “Deus” também admite ter colaborado no famoso gol feito com a mão por Maradona contra a Inglaterra na Copa de 1986. “Esta pode ter sido sim a minha mão”, diz.
     A propaganda segue mostrando lances decisivos protagonizados pelos argentinos, como os pênaltis defendidos pelo goleiro Goycoechea, também em 1990, o golaço de Maradona driblando vários ingleses, em 1986, o gol do título da final daquela Copa, marcado por Burruchaga contra a Alemanha, e o gol de Palermo em pleno temporal no final da partida contra o Peru, nas Eliminatórias para a Copa de 2010, que salvou a Argentina de ficar de fora da Copa. E “Deus” diz: “Não, isso não fui eu!”. O comercial termina pedindo ao povo argentino para torcer e amar as cores da seleção acima de tudo.
     No Brasil, outra marca de cerveja, a Skol, veicula propagandas nas quais torcedores argentinos se tornam fãs da seleção brasileira após beber o produto.
    
Assista ao Vídeo: Comercial da Quilmes com Deus como argentino
http://www.youtube.com/watch?v=KnZY4lFXzZg&feature=player_embedded
Fonte Gospel+

Evangelização infantil – Ilustrador cristão conta como leva a Palavra de Deus às crianças

Por: Redação Gospel+
     Evangelização infantil é uma preocupação constante entre muitos pais evangélicos. Pensando nisso, o ilustrador cuiabano Generino Rocha desenvolveu a Turminha Shekiná e a Turminha Missionária. Por meio de histórias em quadrinhos, tirinhas e passatempos são contadas as histórias bíblicas em uma linguagem de fácil assimilação.
     Em suas histórias, os personagens se envolvem em situações que são narradas sempre mostrando como a Palavra de Deus ensina a agir. Além de contar histórias bíblicas em uma maneira contextualizada é ensinada através da Turminha Missionária a importância da evangelização e a diferença entre as pessoas e culturas.
     Personagens bíblicos aparecem em divertidas histórias para contar sobre seus feitos aos personagens. Um detalhe importantes das publicações é que cada personagem tem características específicas, criando uma identificação com a criança.
     Outra forma de publicação de seus trabalhos infantis evangélicos é por meio de tirinhas divulgadas em jornais no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. “Também já lancei algumas edições próprias com apoio de empresários e da Lei de Incentivo a Cultura de Mato Grosso”, disse Generino.
    A paixão de Generino por desenhos é antiga. Quando era criança, na década de 1980, começou a copiar desenhos de super-heróis de gibis. Em 1995 foi convidado a ilustrar um caderno infantil de um jornal de sua cidade. Este foi o pontapé inicial para desenvolver seus trabalhos, que são “frutos de muita concentração”, falou Generino.
     Porém o ilustrador ainda não lança seus trabalhos por uma editora. Com é um artista em ascensão faz doação de 50% da tiragem para amigos, bibliotecas, empresários e editoras para divulgar seu trabalho. A outra parte da tiragem é distribuída em bancas e livrarias. “Também faço divulgação em massa na mídia gratuita local, que costuma ceder espaço para o artista mostrar seu trabalho”, contou.
     No momento Generino está a procura de uma editora que lance seus produtos em nível nacional. Como é um material com uma linguagem fácil, porém profunda é uma ferramenta para a evangelização de crianças em igrejas, quando são realizados os cultos infantis, escolas dominicais e para filhos de pessoas que não são cristãs.
     Além de seus trabalhos de evangelização infantil, Generino também lançou projetos de conscientização ambiental para crianças. “Garota Pantanal” e Ângela, a versão jovem são histórias de uma menina que faz de tudo para proteger o meio ambiente.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Seleção Brasileira conta com um Pastor para a Copa do Mundo

     Pastor Anselmo Alves, 51 anos, não tem o peso de Dunga na seleção brasileira. Não se trata também de um ilustre desconhecido. Evangélico da Primeira Igreja Batista de Curitiba, Anselmo é o guardião de um grupo influente de jogadores no elenco de Dunga. E já tem encontro marcado com os atletas em Johannesburgo assim que a seleção desembarcar na África.
     O pastor ministra, na Igreja Batista em Curitiba, um enorme templo encravado no bairro Batel, no centro da cidade. E não foi possível encontrar os jogadores de Dunga no CT do Atlético-PR, quartel da seleção. O motivo: Anselmo Alves está na Itália e de lá parte na próxima semana para Johannesburgo.
     A missão do pastor Anselmo é orar e encorajar os jogadores evangélicos, apontados como o núcleo forte da seleção. Entre os 23 convocados por Dunga, sete deles comungam da mesma fé: os zagueiros Lúcio e Luisão, os volantes Gilberto Silva e Felipe Melo, o lateral Daniel Alves, o atacante Luís Fabiano e Kaká.
     Pastor Anselmo revelou que orou pela recuperação plena de Kaká e deve continuar com as orações durante da Copa. Desde o Mundial de 2002, o religioso acompanha a seleção. Naquele Mundial, ele foi decisivo na recuperação emocional de Lúcio, declarou o zagueiro.
     “Lembro que ele estava arrasado com a falha que cometeu no gol de Owen no jogo contra a Inglaterra (o Brasil depois virou e venceu por 2 a 1, gols de Ronaldinho Gaúcho e Rivaldo, em confronto válido pelas quartas de final). O Lúcio chorou muito. Nos reunimos e oramos e ele se recuperou para os jogos finais”, contou o pastor em sua página na internet.
     De 2002, passando pela Copa de 2006, a presença do pastor Anselmo tem sido constante nas andanças da seleção, em Eliminatórias e outros eventos.”Sempre que a seleção está reunida em algum lugar do mundo, ele viaja até o local e ministra aconselhamento, faz um encontro diário, para estudar a Bíblia”, conta o pastor Rogério Leite em seu blog da Igreja Batista Passo D”areia. “Alguns céticos e perseguidores do cristianismo falam contra, e até especulam que a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) paga as despesas de viagem e hotéis para o pastor Anselmo, mas todas essas despesas são pagas segundo ele, por amigos, irmãos da igreja e também jogadores de dentro e fora da seleção.”
     Futebol no sangue. Anselmo, antes de se tornar pastor, era jogador de futebol. Nos anos 1980 atuou como ponta-direita do Atlético-PR, mas não teve sucesso como atleta profissional e abandonou a carreira.
     Fonte: Blog Você para Deus / Estadão / Gospel Prime

Marina afirma que Dilma e Serra fazem propaganda antecipada

     A pré-candidata do PV à Presidência, Marina Silva, afirmou nesta segunda-feira que a petista Dilma Rousseff e o tucano José Serra fazem propaganda antecipada. "Estou me referindo aos dois", respondeu ao ser questionada em entrevista à rádio "CBN" se falava de Serra ou Dilma ao dizer que há pré-candidatos não cumprindo a legislação eleitoral.
     Ela também respondeu sobre a representação do Ministério Público Eleitoral contra ela por propaganda eleitoral antecipada. Na sexta-feira, a Procuradoria entrou com pedindo a aplicação de multa à pré-candidata do PV. A ação foi protocolada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
     Segundo a Procuradoria, a propaganda aconteceu no dia 11 de maio em evento na Assembleia do Rio Grande do Sul. No ato, Marina recebeu o título de cidadã do Estado. O Ministério Público afirma que a propaganda aconteceu por conta de um banner fixado no prédio da Assembleia. A faixa tinha uma foto da pré-candidata e a frase "Marina é a cara do Brasil".
     De acordo com a pré-candidata, a propaganda foi involuntária. "Estou aguardando para saber mesmo se involuntariamente nós estamos extrapolando."
     Marina também negou que tenha motivo político a exclusão de seu nome em faixas no lançamento da pré-candidatura do deputado Fernando Gabeira ao governo do Rio, que aconteceu no Rio. "Foi uma orientação de quem está entendendo a legislação e não quer extrapolar." O PSDB de Serra estará na aliança de Gabeira já no primeiro turno.
     Ela negou que durante a sua gestão no Ministério do Meio Ambiente tenha feito aparelhamento.
     Para ela, é preciso esperar para avaliar se o acordo com o Irã conduzido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve resultado. "Temos que ficar em compasso de espera", afirmou. Segundo Marina, o governo iraniano já desrespeitou acordos parecidos antes e é um país que desrespeita os direitos humanos.
     Marina admitiu que hoje votaria a favor da lei de responsabilidade fiscal e do Plano Real. De acordo com ela, os votos contrários nessas matérias foram orientação do seu partido na época, o PT.
     "Eu digo que foi um erro não termos avaliado que havia um ganho com o Plano Real", disse. Ela disse que não vê problema em mudar de posição em matérias como esse tipo. "Quando mudo de opinião, não é por conveniência, mas por convicção".
     A senadora disse que, se fosse presidente, vetaria a mudança no fator previdenciário, mas manteria o reajuste de 7,7% para os aposentados --aprovados semana passada pelo Senado.
     Ela também defendeu uma reforma previdenciária. "A previdência vai precisar de uma resposta, um saneamento."
Fonte: Creio / Folha Online

União de fé: cidade lidera número de evangélicos e de católicos

Por Jaider Miranda
     A presença de símbolos religiosos como o Convento da Penha influenciam a representação católica em Vila Velha. Mas a fé também se faz crescer no número de evangélicos. Dados do IBGE do início dos anos 2000 já apontavam o Espírito Santo entre os Estados com maior índice de evangélicos no Brasil.
     Em Vila Velha, os números são ainda mais relevantes entre os jovens. Hoje, em média, um em cada três vila-velhenses com menos de 30 anos é evangélico, com destaque para membros da Assembleia de Deus, Maranata e Batista. Já os católicos são 50% nessa faixa etária. Menos de 10% se declarou sem vínculo com religião e aproximadamente 5% seguem outras religiões, como espiritismo e umbanda.
     Assim como em todas as faixas etárias, entre os jovens, o percentual de evangélicos também tem crescido mais rápido que os de católicos. Em 1991, os protestantes representavam pouco mais de 9% da população canela-verde, saltando para 16% em 2000 e para os atuais 30%, aproximadamente.
     Um estudo feito pelo Instituto Futura em 2009 aponta que Vila Velha é a cidade da Grande Vitória com maior índice de pessoas que acreditam em Deus: 99%. Entre os entrevistados na faixa de 16 a 19 anos, o índice dos que acreditam que Deus ou alguma força superior deva ser adorado ou seguido foi de 100%.
     Celebrações renovadas
     Jovializar as celebrações é a estratégia que as igrejas da cidade têm utilizado para oferecer aos jovens, na faixa de 16 aos 26 anos, a palavra de Deus da forma como ele gostaria de escutar.
     As igrejas, cultos e grupos de oração mudaram a forma de lidar com essa faixa etária. Catequese e grupos de jovens ganharam a companhia de novas formas de confraternização, como luais, raves, excursões, passeios, piqueniques e até a prática de esportes radicais.
     Juventude garante novo gás aos eventos religiosos
     O teólogo Michael Camillo fez um estudo sobre a participação da religião na vida da juventude e afirma que essa aproximação gera uma confiança deles em relação à igreja, que por muitos anos fez questão de nutrir uma distância.
     "As igrejas estão mais preocupadas em falar do que ouvir. Isso cria um bloqueio natural nos jovens. Essa aproximação pode acontecer se a igreja se despir de julgamentos que acabam fazendo, quando impõem suas doutrinas sem conhecer o universo em que o jovem está realmente inserido", diz.
     O produtor de shows Paulo Cesar Lyra já trabalha com eventos religiosos há oito anos e diz que essa mudança de perfil sofreu resistência de alas tradicionais da igreja. "Essa barreira já foi ultrapassada na maioria das igrejas. Hoje, existe até uma profissionalização dos eventos".
     Já a jornalista Alice Eulália, 25, participou de vários eventos promovidos pelo Grupo de Jovens da Igreja Presbiteriana, desde campanhas ecológicas, até acampamentos e festivais de música e esportes radicais. "A juventude tem acesso rápido e fácil a novas informações, o que os tornam mais exigentes", diz.
     Membro há 10 anos do Ministério Jovem da Igreja Adventista Central de Vila Velha, Nivaldo Godinho Junior, explica que as igrejas se atentaram para a necessidade de ter uma linha de trabalho para a faixa etária de 16 a 35 anos. "Hoje, o trabalho é focado em três áreas essenciais para a vida deles: espiritual, física e sociocultural", explica.
     Cânticos no ritmo de rock e do reggae
     Com uma prancha de surfe servindo de altar e uma banda de rock ou reggae comandando o culto, a Bola de Neve tem o apelido de Igreja dos Surfistas. "Preferíamos o apelido de Igreja da Galera Radical", brinca o pastor Wanderley Júnior. Os cultos, realizados duas vezes por semana, reúnem cerca de 300 pessoas na única igreja do Estado, na Praia da Costa. Ao contrário das demais igrejas na qual os pais levam os filhos, na Bola de Neve são os filhos que levam os pais. O que incomoda os membros são os mitos criados sobre a igreja. "Pessoas que nunca assistiram aos cultos dizem que os fiéis vêm de biquíni e que no templo teria um fumódromo. Nossa única diferença são os cânticos no ritmo do reggae e rock", diz o pastor.
     Pick-ups tomam conta dos templos jovens
     Em média quatro vezes por ano, os cultos da Igreja Rio da Vida, na Praia da Costa, transformam o templo numa danceteria. As Saves (analogia ao nome raves), são celebrações na qual a pregação é feita através de música eletrônica, comandada pelo pastor DJ Paulinho, que substitui o tradicional púlpito pelas pick-ups. "Isso mostra que o jovem também tem o seu lado espiritual. A mensagem passada aos membros da igreja é a mesma, só a maneira de chegar até eles é que mudou", comenta o membro do grupo de jovens da igreja, Lucas Pacheco. "Até os anos 80, era impensável ver uma guitarra numa igreja. Mas a mentalidade mudou. O senso comum em torno da religião é de proibição. Não pode fazer isso, não pode fazer aquilo. Mas a questão não é essa, só o pecado é que é proibido", explica o pastor.
     Culto mais animado para passar a palavra
     Não são apenas os evangélicos que têm inovado com a inserção de elementos jovens nas pregações. O coordenador do grupo de jovens da Paróquia Nossa Senhora da Conceição Aparecida, de Cobilândia, Carlos Maximiliano, 21, explica que existem três grandes eventos focados nos jovens e que são realizados fora da igreja: as Disquemática ou Cristotecas (discoteca carismática ou discoteca de Cristo), os luais de bandas católicas e os Barzinhos Cristãos. Além disso, também são realizadas frequentemente excursões e retiros. O jovem deixa claro que não se trata de uma evolução da igreja. "A palavra evolução deixa entender que o que era feito antes era errado, mas não se trata disso. A igreja passa por uma adaptação à nossa realidade. Podemos inserir músicas como pagode, DJ?s católicos, entre outros, mas a mensagem passada é sempre a mesma", explica Maximiliano.
     Cultos mais movimentados
     Bola de neve
     A Igreja foi fundada em São Paulo, em 1993. A primeira e única igreja no Espírito Santo foi instalada em julho de 2008 na Praia da Costa. O significado do termo "Bola de Neve" é uma analogia a algo pequeno e que vai crescendo ao longo do caminho em direção a Deus. 
     Rio da Vida
     A congregação completa em novembro cinco anos de existência na Praia da Costa, onde foi fundada. Pretende ainda este ano abrir seus cultos Saves ao público que não seja membro da igreja. 
     Igreja Adventista do Sétimo Dia
     O Ministério Jovem da Igreja Adventista Central de Vila Velha realiza desde atividades atividades missionárias, como entrega de folhetos, visitas a orfanatos, asilos e casas de passagem e atividades culturais, como idas a museus e parques. A igreja também promove aos jovens atividades recreativas em acampamentos em ambientes rústicos ou em locais mais confortáveis
     Presbiteriana
     Na Igreja Presbiteriana do Brasil, existe o departamento dos adolescentes (12 a 18 anos) e dos jovens (18 a 35). Os grupos promovem eventos de ação social, campanhas ecológicas, congressos, acampamentos, intercâmbios com jovens evangélicos de outros Estados e países, festivais de música, teatros, torneios e festas temáticas.
     Assembleia de Deus
     Comemorando 100 anos no Brasil, a igreja além de congressos e cultos especiais para mocidade e adolescentes, hora e outra realizam retiros e passeios. Em algumas regiões (como AD-Belém em Vila Espanhola - SP) são realizados alguns eventos como Noite da Pizza, Noite da Pipoca, Tarde do Pastel e Encontro de Talentos.  
     Fonte: Gazeta on-line

Raul Gil, o 'padrinho' de grandes nomes gospel, agora é do SBT

     Depois de cinco anos de Band, Raul Gil, 72 anos, gravou seu último programa no Morumbi ontem. Ele deve assinar o contrato com o SBT nos próximos dias
Por Sheila Bastos
     O clima era de tranquilidade, já que houve acordo. A preocupação era preservar Raul de fortes emoções. Nos bastidores já se sabe que fechou com o SBT. Só falta assinar. Raul ganhará uma atração sábado à tarde com a sua cara. Só não se sabe se antes da Copa do Mundo.
     Em outras emissoras, Raul Gil sempre manteve a porta aberta para a música gospel, recebendo grandes artistas já consagrados como Fernanda Brum, Eyshila, Regis Danese, Aline Barros, Shirley Carvalhaes, Mara entre outros. E ainda revelou grandes nomes de adoradores como Jamily, Robinson Monteiro (o anjinho do Raul Gil), Bianca Toledo, etc.
     Ficamos na torcida para que a Gospel Music continue tendo espaço em sua programação no SBT, a emissora do homem do baú, que aos pouquinhos tem sido cercado pela Palavra de Deus. Silvio Santos é evangelizado pela esposa Iris Abravanel, a filha e o genro pastor. Prova disto são algumas colocações em seu programa dominical.
     Recentemente na atração `roda, roda`, a assistente de palco perguntou a uma participante qual era o seu signo, a mulher respondeu que não tinha... a assistente tornou a perguntar, sem entender a resposta, daí o Silvio falou do auditório: - Ah! Ela deve ser evangélica, pois evengélico não tem signo. E a participante confirmou que era crente.
Em outra ocasião, Mara Maravilha era convidada do programa e Silvio perguntou: - Mara se eu trair a minha mulher, o que acontece? Quando eu morrer irei para o céu ou para o inferno?
Mara toda cautelosa e supresa com a pergunta do antigo `patrão´, ficou escolhendo as palavras... e, então ele disparou. - Eu irei para o céu, pois me arrependerei, antes.
O Galileo Com informações do Agora

domingo, 23 de maio de 2010

Referências a Deus são retiradas de sala de aula

     Um professor de matemática de San Diego, Estados Unidos, foi forçado a retirar dois banners da parede de sua sala de aula porque eles continham frases como “Confiamos em Deus”, “Uma nação aos pés de Deus” e “Deus abençoe a América”
     Um juiz federal disse que a Escola Poway errou em ordenar a remoção dos banners.
     Brad Johnson, professor há 32 anos, afirmou que utiliza esses banners motivacionais em suas salas de aula desde o início da carreira. Quando ele recitava o Juramento de Lealdade à bandeira e república norte-americana, ou a Declaração da Independência e outros textos da sociedade norte-americana juntamente com seus alunos, Brad decidiu pendurar um cartaz vermelho, branco e azul fazendo referência aos sentimentos da nação. O pôster permaneceu pendurado na parede durante 25 anos e ninguém nunca reclamou.
     Há 20 anos, Brad acrescentou outro cartaz, que diz: “Todos os seres humanos são iguais. Todos são abençoados por seu Criador”.
     “Eu tenho várias fotos de paisagens em minha sala de aula, de parques nacionais e outros pontos conhecidos do país. Eu os coloco próximos aos outros, para que os alunos reflitam que, como nação, não estamos aqui por acaso, que não somos um acidente, mas fomos criados e abençoados por um Criador”, conta o professor.
     Brad Johnson não fala sobre os pôsteres na sala de aula, mas conta que os alunos afirmam que sua aula é relaxante e inspiradora.
     Brad Johnson disse que ficou surpreso quando ordenaram que os cartazes fossem retirados.
     “Eu fiquei pensando o que havia mudado em nossa cultura e na opinião da escola sobre os banners que, de repente, eles tiveram que ser retirados”.
     Fonte: Folha Gospel / por Missão Portas Abertas

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Billy Graham quer pregar novamente, afirmou seu porta voz

Billy Graham pode interromper a aposentadoria para dar mais um sermão
Por Rodrigo Ribeiro Rodrigues
     O famoso evangelista Billy Graham está com problemas de saúde, mas seu porta-voz afirmou recentemente que ele quer voltar a pregar.
     "Ele está tentando fazer valer cada dia, sabendo que um dia ele vai se juntar a sua mulher, Ruth, no céu.", disse Graham a A. Larry Ross Asheville Citizen-Times
     "É encorajador que ele permanece saudável, alerta e comprometido com seu chamado ao longo da vida", acrescentou.
     Embora Graham expresse seu desejo de pregar, Ross disse que a hora, o local e formato ainda não foram determinados.
     Membros da família Graham mencionaram que o evangelista tanto pode ter seu sermão gravado e distribuído, ou, se a saúde permitir, pregar no próximo ano na frente de uma plateia ao vivo no Bank of America Stadium, em Charlotte, NC
     O evangelista tem estado fora do olhar do público nos últimos dois anos devido a problemas relacionados à saúde, mas, no entanto, ele tem se envolvido na elaboração de projetos, bem como com as orações da Associação Evangelística Billy Graham. No mês passado, ele se reuniu com o presidente Barack Obama em sua casa.
     Após 55 anos de pregação em todo o mundo, Graham realizou a sua última cruzada evangelística em junho de 2005, em Flushing Meadows Park, em Nova York. Ele fez uma última aparição no Festival da Esperança 2006 com seu filho, Franklin, em Nova Orleans, quando a Costa do Golfo estava se recuperando do furacão Katrina.
     No total, ele pregou para mais de 210 milhões de pessoas, em mais de 185 países, e suas pregações alcançaram milhões de pessoas através da televisão e da Internet. O evangelista tem sido regularmente citado pela organização Gallup como um dos "Dez homens mais admirados no mundo."
     Fonte: Adaptação/ tradução: OGalileo Com informações de Christian Post

Banda gospel do Bope leva paz às comunidades cariocas

Tropa de Louvor é o grupo formado por membros do Batalhão de Operações Especiais, que realiza shows-cultos e se apresenta com a arma na cintura e a Bíblia na mão direita
Por Sheila Bastos
     'Se queres a paz, prepara-te para guerra'. A frase estampada em latim na parte de trás da camisa preta é o aviso que os integrantes da Tropa de Louvor deixam por onde passam. A banda gospel é formada por membros dos Caveiras de Cristo, policiais evangélicos que integram o Batalhão de Operações Especiais (Bope). A Tropa realiza cultos-shows nas comunidades pacificadas e cria uma nova vertente de comportamento, por vezes contraditório, na unidade em que seus homens são treinados para matar.
     “Deus está neste lugar”, diz o sargento do Bope e pastor da Igreja Assembleia de Deus Carlos Mello, para um grupo de 200 pessoas, entre eles pastores e padres, no culto-show do Borel, no sábado à tarde. Com a tradicional farda do Bope, o emblema da caveira no braço esquerdo e a Bíblia na mão direita, ele conta seus testemunhos de conversão e convida os moradores para uma tarde de louvor: “Estamos aqui trazendo a palavra do Senhor”.
     O público, tímido no início, não demora a se acostumar com a cena do palco: um coral de homens de preto, com coldres e armas na cintura, cantando e orando. A quadra da Escola de Samba Unidos da Tijuca se transforma então numa espécie de templo evangélico dos Caveiras de Cristo.
     No culto, animado pela Tropa de Louvor, a interação com os moradores é mantida o tempo inteiro. Além dos momentos de cura e libertação, a banda abre para o plateia um espaço para uma espécie de show de calouros evangélico. Neste momento vale tudo: alguns anunciam o CD que será lançado, outros cantam funk-gospel e ainda há os que aproveitam para prestar depoimentos como o de uma ex-alcoólatra.
     “É a primeira vez que os vejo. Estou realmente surpresa. Desmistifica aquela imagem do Bope nos lugares com o Caveirão e para matar”, disse a auxiliar de creche, Andréia Cristiane de Albuquerque, 34 anos.
     Público cresce a cada apresentação
     A favela do Borel, na Tijuca, foi a quarta comunidade com Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) em que a Tropa de Louvor se apresentou — e a que atraiu o maior número de fiéis, cerca de 200. Na primeira tentativa de aproximação do grupo com moradores, no Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, apareceram 20 pessoas. No segundo culto, na Ladeira dos Tabajaras, foram 30 moradores. E no Morro da Providência, na Gamboa, eram apenas 10 pessoas. “Não soubemos convidar os moradores”, admitiu o sargento do Bope, Max Coelho.
     Prova de que o culto organizado pelo Bope é marcado pelo diferencial está na plateia: lado a lado padres e pastores rezam de mãos dadas. “Isso aqui traz esperança”, diz o padre da Paróquia São Camilo, na Tijuca, José Patrício de Souza, 63 anos. Para o bispo da Igreja Evangélica Pentecostal Salvação por Cristo, Antonio Ferreira, 75 anos, o culto não é para falar de religião: “Estamos aqui para unir pessoas”.
     Bope
     O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) é a Força de Intervenção da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Fundado em 19 de Janeiro de 1978, atualmente possui um efetivo de policiais especializados em operações de combate ao crime em áreas de alto risco e resgate de reféns.
Fonte: O Galileu Com informações do Odia / Bope

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Cristãos são alertados a deixar o país

     IRAQUE (17º) - Extremistas muçulmanos estão alertando os cristãos no Iraque a deixarem o país imediatamente, ou correrão o risco de ter uma morte violenta. As ameaças mencionam os cristãos em Bagdá e Mosul, áreas já em conflito.
     Um bispo iraquiano recebeu uma carta da Secretaria Geral de Apoiadores do islamismo, alertando que os cristãos de Bagdá e outras áreas “deixassem o país imediatamente e de vez, e na forma de migração em massa”. Ela continua: “Não há mais lugar para vocês aqui, infiéis, entre os muçulmanos iraquianos. Nossas espadas serão colocadas em seus pescoços, de seus seguidores e de outros cristãos que moram em Mosul”.
     Jerry Dykstra, da Portas Abertas nos Estados Unidos confirma a hostilidade contra os seguidores de Cristo. “Os cristãos estão sendo marginalizados, e ouvimos relatos de violência. Se resume a isso: os cristãos estão sendo atacados por causa de sua fé em Jesus Cristo”.
     Muçulmanos sunitas insurgentes atacam frequentemente membros da minoria cristã no Iraque. O governo atual do Iraque é xiita. Como resultado, os cristãos perceberam que estão no fogo cruzado. Milhares já fugiram para os países vizinhos.
     Ainda assim, os cristãos no Iraque continuam firmes em sua fé. Jerry afirma que o “evangelho está sendo propagado e as pessoas estão se achegando a Cristo. Os cristãos têm que se reunir em segredo, mas o bom é que, quando se encontram, eles louvam a Deus e entregam suas necessidades diante dele”.
     Ore por oportunidades para igrejas e organizações cristãs trabalharem no Iraque.
Tradução: Missão Portas Abertas

Silas Malafaia novamente dá satisfações sobre sua saída da Convenção das Assembléias


     Confira a nota de esclarecimento
sobre a renúncia do
Pr. Silas Malafaia da Convenção Geral das
Assembleias de Deus do Brasil (CGADB):
  Por Carlos Lima
     Em atenção aos inúmeros e-mails e telefonemas recebidos após a declaração do pastor Silas Malafaia sobre o seu desligamento da CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil), no programa Vitória em Cristo exibido no dia 15/05/10, ele vem esclarecer:
     “Minha renúncia ao cargo de vice-presidente e o meu desligamento da CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil) devem-se ao fato de eu ter assumido, repentinamente, o pastorado da igreja Assembleia de Deus Penha (RJ), que passou a denominar-se Assembleia de Deus Vitória em Cristo. Ao assumir a liderança desse rebanho, Deus me deu uma visão que demandará de todos nós muita dedicação;
     Outrossim, sem dúvida, tal decisão deve-se também a assuntos de ordem interna dos membros da CGADB, que estão explícitos no documento que enviei via Cartório ao presidente da instituição, no dia 14/05/2010. Caso você seja membro da CGADB, é seu direito solicitar à secretaria da convenção (pelo telefone 21.3351-3054) uma cópia do documento, para que tome conhecimento dos principais motivos de minha renúncia. Afinal, a prudência me impediu de trazer a público essas questões internas em Rede Nacional de Televisão;
     Continuo sendo um pastor com doutrina bíblica da Assembleia de Deus;
     Não fundarei nenhuma convenção, seja de caráter nacional ou estadual;
     A Assembleia de Deus Vitória em Cristo (RJ), por mim presidida, não aceitará em seu ministério nenhum pastor advindo de divisão de igrejas ou por motivo de rebelião;
     Nunca me considerei superior a nenhum outro pastor da denominação ou de outras igrejas. Ao contrário, em minhas mensagens sempre digo que há muitos pastores melhores do que eu. Entretanto, talvez pelo fato de estar diariamente nos programas de televisão, as pessoas me julgam erroneamente como “grande”. Sou muito consciente de que existem melhores líderes e pregadores do que eu;
      Não quero viver isoladamente com a igreja que Deus tem me confiado. Por isso, continuo membro do CIMEB (Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil). Caso a CEADER (Convenção Evangélica das Assembleias de Deus no Estado do Rio de Janeiro), na próxima reforma estatutária, permita-me pertencer a ela sem obrigar-me a ser membro da CGADB, eu continuarei na CEADER, pois esta permanece sendo uma convenção com ambiente democrático e salutar aos pastores. Sempre procuro me rodear de amigos pastores de todos os matizes ideológicos, buscando aprender das virtudes de cada um deles;
     A minha decisão é estritamente pessoal. A prova é que alguns pastores que integram a Assembleia de Deus Vitória em Cristo e a Associação Vitória em Cristo, ambas as instituições presididas por mim, continuam sendo membros da CGADB. Tenho aprendido que o melhor modelo de liderança é a liberdade.
Fonte: O Galileu Com informações: Vitória em Cristo

Dez anos após reconhecimento, Ministério da Educação já credenciou 43 cursos de teologia

      Durante muito tempo menosprezado pela academia secular, o ensino teológico cristão ganhou no Brasil tônus oficial, com o reconhecimento do Ministério da Educação (MEC). Na última década, muitas instituições buscaram o aval junto ao MEC. Atualmente, há 102 cursos de teologia, de diferentes linhas religiosas, com o selo oficial, segundo o site do Ministério.
     Das pregações campais de Jesus, passando pelas reuniões subterrâneas dos primeiros cristãos até os nossos dias, a forma de instruir os fiéis a respeito dos assuntos relacionados ao Reino de Deus mudou, institucionalizou-se e chegou às portas do Estado. Do didaqué às modernas salas de aula dos seminários, o que antes era motivo de perseguição e alvo de sussurros agora virou pauta de discussões e leis governamentais. Durante muito tempo menosprezado pela academia secular, o ensino teológico cristão ganhou no Brasil tônus oficial, com o reconhecimento, pelo governo federal, de dezenas de cursos de educação religiosa que se submeteram às exigências estabelecidas pelo Ministério da Educação (MEC) e ganharam status de instituições de nível superior.
     Antiga reivindicação dos estudantes de teologia, que se sentiam discriminados pelo poder público, essa oficialização, que acaba de completar dez anos, tem promovido profundas mudanças, mas ainda não eliminou alguns temores – como o de que a validação dos diplomas poderia prejudicar o caráter espiritual da transmissão do saber teológico.
     Em meio aos debates sobre as vantagens desse reconhecimento, boa parte dos teólogos, professores, líderes denominacionais, representantes de instituições religiosas e alunos ainda não têm opinião consolidada. A gênese da questão foi a adoção do Parecer 241/99. Ali, o Conselho Nacional de Educação (CNE) estabeleceu o caráter universitário do curso teológico e a possibilidade de sua aceitação como tal. Na última década, muitas instituições buscaram o aval junto ao MEC. Atualmente, há 102 cursos de teologia, de diferentes linhas religiosas, com o selo oficial, segundo o site do Ministério (a lista completa está em http://emec.mec.gov.br/, digitando-se teologia). Desses, 43 são evangélicos. A quantidade oscila devido ao constante acréscimo ou descredenciamento de instituições, uma vez que as exigências são renovadas anualmente.
     Como a conquista é ainda recente, a maioria dos especialistas prefere um discurso mais ponderado em lugar do entusiasmo. Mas é notório que a oficialização dos cursos conquista bem mais simpatia do que repúdio nos círculos acadêmicos evangélicos. “Hoje não há mais opção – a necessidade de credenciamento das faculdades e cursos de teologia é uma realidade não apenas inevitável, mas obrigatória por lei”, sentencia o diretor geral da Faculdade Teológica Batista de São Paulo (SP), Lourenço Stelio Rega. “O governo atendeu uma demanda que existia no nosso meio há muito tempo”. O professor, que também é pastor batista, destaca os benefícios disso para o corpo discente: “O aluno que se forma num curso oficializado tem a prerrogativa de ser reconhecido para continuar seus estudos em outros níveis, trazendo melhores condições para servir no ministério”. Na mesma direção vai Carlos Osvaldo Pinto, reitor do Seminário Bíblico Palavra da Vida, em Atibaia (SP): “A ideia do reconhecimento é boa, pois permite às escolas evangélicas a busca da excelência na formação de seus alunos”, opina.
Aperfeiçoamento técnico
     O papel de avaliador para cursos de teologia do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), somado ao de diretor da Faculdade Teológica Sul-Americana de Londrina (PR), dá ao pastor presbiteriano Jorge Henrique Barro uma visão privilegiada sobre o assunto. Com a experiência de quem já avaliou muitas escolas teológicas por meio do Inep, autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação, Barro tem opinião favorável ao reconhecimento governamental. “Esse processo traz muitos benefícios para a escola. Melhora as condições técnicas do curso, como o projeto pedagógico e o plano de desenvolvimento institucional, bem como a biblioteca, o corpo técnico-administrativo e o próprio alunado”, avalia.
     No entender do educador, uma escola que passa por esse teste cresce e se desenvolve com mais consciência educacional. “Torna-se uma instituição dirigida por gente melhor preparada para inseri-la no contexto federativo de ensino”, pontua. É justamente na questão da inserção da Igreja e de suas instituições de ensino no mundo que a cerca que o presidente da Associação de Seminários Teológicos Evangélicos (Aste), pastor Manoel Bernardino Filho, vê os maiores avanços com as novas legislações. Além do aperfeiçoamento técnico de escolas e alunos, ele também enxerga benefícios sociais no processo: “Por que buscar o reconhecimento? Porque a Igreja não é um gueto; é uma comunidade que precisa viver a cidadania, cujos membros devem estar inseridos de modo sadio na sociedade”, defende.
     A questão do reconhecimento dos cursos de teologia segue uma tendência mundial, embora por meio de modelos diferentes. Nos Estados Unidos, são agências de cunho evangélico autorizadas pelo governo – como a Association of Theological School (ATS) e a Association of Biblical High Education (ABHE) – que dão a chancela aos seminários, mediante exigências severas. Em grande parte da Europa ocidental, como na Alemanha, a teologia é curso superior reconhecido, sempre ligado a uma universidade. Já no restante da América Latina, acontece o mesmo processo de oficialização que ocorre atualmente no Brasil. “Pode-se dizer que o movimento iniciado no final dos anos 1990 é irreversível e atinge todo o continente”, afirma Bernardino.
     Por aqui, as primeiras escolas teológicas reconhecidas foram as católicas, especialmente as Pontifícias Universidades (PUCs). Além delas, já há cursos oficializados entre presbiterianos, metodistas, luteranos e assembleianos. Sendo a teologia uma área do conhecimento já reconhecida pelo MEC, os direitos e as regras advindas da oficialização são iguais para estabelecimentos de ensino ligados a todos os credos. E a diversidade religiosa do país faz com que outras confissões também estejam buscando seu lugar ao sol no panorama acadêmico nacional – caso de um curso de bacharelado em teologia espírita kardecista, em Curitiba (PR), e da Faculdade de Teologia Umbandista, em São Paulo. Nesta última, disciplinas como liturgia afro, botânica umbandista e administração de terreiros compõem a grade, que está sendo avaliada pelo MEC.
Confessionalidade
     A sedução oferecida pelo status de nível superior derruba até mesmo um aspecto que, historicamente, causa calafrios em qualquer cristão: a influência do Estado sobre assuntos da Igreja. Afinal, desde Constantino I, o imperador romano que inseriu o cristianismo na esfera de poder a partir de 313 a.D., a miscigenação de governo religioso e eclesiástico tem provocado desastres teológicos, contaminação da fé e esfriamento espiritual. Porém, a possível ingerência do Ministério da Educação sobre os currículos dos cursos religiosos não parece incomodar tanto o pessoal da área. “Não vejo conflito de interesse nisso, porque eles passam pela avaliação de uma equipe de especialistas altamente credenciados para tanto”, endossa o pastor presidente da Igreja Evangélica Luterana do Brasil, Paulo Moisés Nerbas. Ele fala com conhecimento de causa, já que foi coordenador do primeiro curso de teologia protestante a ser reconhecido oficialmente no Brasil, o da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), sediado na cidade gaúcha de Canoas.
    No entender de Nerbas, o reconhecimento vai ao encontro dos desejos das igrejas que mantêm instituições de ensino sérias e idôneas. “Essa legitimação oficial divulga a teologia no mundo acadêmico e atesta a seriedade, a integridade e a confiabilidade de um curso”, enumera. “Além disso, confere aos ministros religiosos um diploma que lhes abre portas de acesso muito interessantes, profissionalmente falando”. Por essa razão, o professor vê com bons olhos as exigências do governo para a adequação das escolas. “É um processo sadio”, afirma.
     “O MEC não está preocupado com a questão da confessionalidade, mas com a qualidade das escolas e dos cursos oferecidos”, faz coro Manoel Bernardino. “É preciso dizer que o governo não reconhece um seminário, e sim o curso de teologia. Para isso, o seminário precisa criar uma faculdade dentro de sua estrutura”. Até o momento, de fato, não há interferência direta do governo no conteúdo do que tem sido ministrado nas salas de aula dos seminários. O Parecer 241/1999 é taxativo: “Os cursos de bacharelado em teologia sejam de composição curricular livre, a critério de cada instituição, podendo obedecer a diferentes tradições religiosas”. Noutras palavras, quem define de fato os critérios a serem seguidos são as próprias instituições de ensino, salvaguardando assim sua visão institucional e denominacional (ver quadro).
    “Se uma escola é de linha pentecostal, continuará sendo pentecostal. E nenhum seminário batista, por exemplo, precisa temer ter de se tornar presbiteriano”, continua o pastor Jorge Barro. Implantado ano passado, o Parecer CNE-CES 118/09 – elaborado por pessoal externo à área teológica, e que ainda não foi homologado – diz apenas que um currículo teológico deve atender a seis eixos: filosófico, metodológico, histórico, sócio-político, linguístico e interdisciplinar. Mas representantes evangélicos, como o professor Lourenço Rega, estão justamente no meio de um diálogo sobre ajustes e aperfeiçoamentos nesse Parecer com o ministro da Educação, Fernando Haddad – e, segundo ele, as autoridades do setor têm se mostrado receptivas.
“Febre descontrolada”
     Em artigo publicado na revista católica Ciberteologia (Paulinas), o professor de teologia e ex-vice-reitor comunitário da PUC-SP João Décio Passos afirma que o Parecer 118/09 significa um “avanço técnico” em relação aos anteriores. Segundo o especialista, a norma fornece parâmetros objetivos, que superam os de natureza unicamente formal até agora em vigor. Um deles, explica, é a exigência de um “perfil científico” dos bacharelados, de maneira análoga ao que já se observava nas graduações em ciências humanas. “A sua natureza normativa mantém, contudo, sob suas orientações, um senso comum em relação à teologia – ao que parece, ainda dominante no Conselho Nacional de Educação – de que ela é uma ‘coisa de Igreja’, constituída, portanto, por um universo de significados de fé sobre o qual o Estado não pode emitir nenhum parecer”, explica. Passos defende que cabe ao Ministério da Educação a função de legislar, mas sem entrar no mérito das opções de fé a que se relacionam.
    Mas onde fica, nessa nova ordem, o caráter ministerial do ensino teológico? Para o presidente da Associação Evangélica de Educação Teológica na América Latina (Aetal), Márcio Matta, o credenciamento traz algumas desvantagens. Entre os problemas, estaria a desvirtuação da função histórica das escolas cristãs – “Afinal”, lembra, “elas foram criadas a fim de formar obreiros exclusivamente para ajudar a Igreja a cumprir sua missão”. Ele insiste na tese da separação entre Igreja e Estado: “Num primeiro momento, não há por que buscar o reconhecimento oficial para nossos cursos teológicos”, sustenta.
     Para o presidente da Aetal, no entanto, é o próprio desenvolvimento técnico e acadêmico dos seminários que desencadeia essa aproximação. “À medida que inserimos matérias como psicologia, sociologia e filosofia em nossas grades, gera-se uma demanda natural para o reconhecimento do governo para este novo currículo”, observa. Esse fenômeno provocaria o que Matta classifica de uma “febre descontrolada” pela busca do reconhecimento, motivada pelos benefícios materiais que ele proporcionaria aos formandos – entre eles, a habilitação para o magistério de nível superior e a possibilidade de acesso a cargos públicos com exigência de graduação em terceiro grau.
     O professor Neander Kraul, reitor do Seminário Bíblico Betel, no Rio de Janeiro, mostra-se bastante cético com relação aos benefícios do reconhecimento pelo sistema educacional nacional. “As evidências dão conta de que a Igreja praticamente nada ganhou com o reconhecimento, se o objetivo último dos seminários ao ofertar cursos de teologia for o de servir a Igreja”, ressalta. “Ao nivelarmos pura e simplesmente essa área de formação com as demais, passamos a admitir a teologia como campo profissional e derrubamos nosso antigo discurso de que pastores não são profissionais”, alerta. Ele vai além, e enxerga como “algo maligno” o que considera uma inquestionável ingerência do governo sobre as atividades educacionais cristãs. “O Estado passa a ditar o que é ‘religiosamente correto’. Ganhamos terreno numericamente, mas perdemos voz e influência quando se trata da verdade.”
     Neander, que também é pastor, critica o nivelamento da verdade bíblica com todas as expressões religiosas. “Neste sentido, padronizar uma estrutura na qual se encaixe uma pretensa liberdade curricular é um detalhe sintomático”. Segundo ele, o segmento protestante é capaz, por si só, de desenvolver indicadores de qualidade e desempenho para nortear o trabalho dos seminários. “Sempre tivemos instituições sérias, que lutam na promoção de uma educação teológica de excelência”, lembra, acrescentando que esse ensino não pode ser visto como mais um nicho de mercado. Sobre a oficialização dos cursos teológicos, o reitor prefere lembrar o que já aconteceu no passado: “Algumas dessas iniciativas naufragaram”, aponta, “e outras estão fazendo muitos seminários que não querem ou não podem aderir ao novo modelo pecar, recorrendo a mecanismos moralmente escusos. Se tirarmos Deus do processo, como estão fazendo, tudo perde o sentido. A questão fundamental que levanto é de cunho ideológico, considerando nossa realidade histórica”, conclui.
Qualificação
     A bem da verdade, ao longo destes dez anos, os seminários que já conquistaram o reconhecimento têm servido de laboratório. Por um lado, atender às exigências oficiais é custoso e exige muito investimento. Por outro, não se verificou uma corrida de novos alunos. Os dirigentes não detectaram aumento no número de matrículas por conta da novidade, e nem houve redução. Todavia, um efeito é notório: em muitas instituições, houve um sensível incremento na qualidade do ensino e na qualificação do corpo docente – o que é positivo para os alunos e, por tabela, para as igrejas, que receberão, em tese, obreiros melhor preparados.
     O problema é que a necessária qualificação dos professores para atender às novas normas custou a alguns deles seus cargos. “Se muitos dos antigos mestres não acompanharem a evolução do ensino, não há como mantê-los”, reconhece o presidente da Aste. O que não significa, no entanto, que eles precisam ser necessariamente dispensados. “A instituição também pode investir nesse pessoal em outras áreas funcionais”, argumenta Márcio Matta. “Se você pleiteia uma função, precisa se preparar para ela, atender aos requisitos estabelecidos. Nenhum professor precisa ser dispensado, a não ser que ele próprio se desligue por julgar que não precisa de titulação”, concorda Manoel Bernardino.
     No Seminário Teológico Escola de Pastores, ligado à Igreja Presbiteriana Betânia, o assunto suscita bem menos polêmica. Alunos e professores saúdam o reconhecimento oficial dos cursos teológicos como um avanço. “Acredito que tem havido rumores infundados, visto que a intervenção do MEC não se dá em dimensões confessionais, mas em aspectos estruturais, acadêmicos ou pedagógicos, o que é um ganho para as instituições”, explica o diretor geral Luiz Vanderley Vasconcelos de Lima. Ela e a diretora acadêmica Maria Cristina Vidal entendem que a preocupação do Conselho Nacional de Educação é a de assegurar que o ensino da teologia tenha as características próprias de um curso de nível superior. “Teologia se faz com reflexão crítica e interdisciplinar”, aponta Lima, “mas sem abrir mãos dos joelhos que se dobram em oração. E nem o Ministério, e nem ninguém, pode nos tirar isso”, vaticina
O caminho da oficialização
     O processo de obtenção do reconhecimento começa com a entrada da documentação da instituição junto ao Ministério da Educação (MEC), o que pode ser feito pela internet. Uma vez vencida a fase documental, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) envia uma comissão verificadora, que procede a uma investigação com visitas às instalações e a análise de uma lista com mais de cem itens.
     O MEC examina, por exemplo, a estrutura física da instituição, a existência e tamanho de biblioteca, a qualificação dos docentes e a funcionalidade – uma verificação estritamente técnica, e não confessional. As comissões que vão às escolas solicitantes são compostas por professores protestantes e católicos, ligados necessariamente a instituições que já tiveram seus cursos teológicos oficializados.
     A legislação também já abre portas para que mesmo os alunos formados em teologia por cursos não reconhecidos pelo MEC obtenham a validação de seu diploma. Isso é possível caso o seminário onde tenham efetuado seus estudos possua requisitos mínimos de disciplinas e horas-aula. É preciso, para isso, que o interessado preste prova de ingresso junto a uma instituição que tenha o reconhecimento oficial e, uma vez aprovado, frequente um curso chamado validação em teologia (já oferecido pela Universidade Presbiteriana Mackenzie de S. Paulo, pala Faculdade Sulamericana de Teologia em Londrina, pelo Instituto Metodista Bennett do Rio de Janeiro, além de outros).
     Em geral, essa extensão tem duração de um ano e pode ser feita de maneira presencial ou à distância, com uma frequência mínima à instituição. Em ambos os casos são exigidos trabalhos, provas, avaliações, estágios e outros requisitos, sempre com notas e médias mínimas iguais às estabelecidas para os cursos oficializados. Na prática, o que esse processo de validação promove é uma adequação do curso não-reconhecido, segundo os padrões exigidos pelo Ministério da Educação.
Diretor do MEC descarta supostos privilégios a escolas católica
  A posição oficial do Ministério da Educação (MEC) é a favor da equidade entre as diversas confissões religiosas. O diretor de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC, professor Paulo Roberto Wollinger, nega que haja privilégios para uma ou outra instituição em função de sua fé. “As regras são as mesmas para todas as instituições, independente da linha religiosa”, afirma. Ele também repudia a ideia de que o MEC determine os currículos dos cursos de graduação. Confira entrevista::
Existem diferenças de critérios para credenciamento entre cursos católicos e evangélicos?
     As regras para credenciamento e recredenciamento de instituições, bem como de autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento de cursos de graduação são definidas pela Lei do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) e demais instrumentos de regulação da educação superior. Essas regras são as mesmas para todas as instituições, independente da linha religiosa. A avaliação do curso é feita pela visita de uma comissão de especialistas à instituição. Esses especialistas analisam o projeto pedagógico, a composição e formação do corpo docente e a infraestrutura da faculdade, utilizando instrumentos de avaliação específicos. Dependendo da avaliação o curso pode ou não ser autorizado.
Até que ponto o Estado deve interferir na formação de um currículo de cunho religioso?
     O Ministério da Educação é responsável pelo sistema federal de ensino, o que abrange as instituições públicas federais e as criadas e mantidas pela iniciativa privada. É importante destacar que o MEC não determina os currículos dos cursos de graduação; isso é uma atribuição das próprias instituições de ensino. O que existe são as Diretrizes Curriculares Nacionais, aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) que apresentam as características gerais dos cursos, com as competências e habilidades que os estudantes devem adquirir ao longo da graduação. Essas diretrizes servem como parâmetro para a formulação dos currículos pelas instituições.
Fonte: Folha Gospel / por Cristianismo Hoje