quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Autoridades angolanas ainda investigam mortes em evento da IURD

O estádio da Cidadela tem capacidade para receber 30 mil pessoas, mas mais de 152 mil fiéis lotaram o culto de virada de ano resultando na morte de 16 pessoas.

Autoridades angolanas ainda investigam mortes em evento da IURDNo dia 1º de janeiro de 2014 o tumulto causado pela superlotação de um culto da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola completará um ano e as autoridades locais ainda investigam o caso.
O culto com o nome de “O Dia do Fim” atraiu evangélicos de diversas parte do país para a capital Luanda. O estádio da Cidadela suportava 30 mil pessoas, mas mais de 152 mil estiveram presentes no dia.
A quantidade de fiéis superou as expectativas dos organizadores e o final foi desastroso, pois o tumulto fez com que 16 pessoas morressem e várias outras ficassem feridas.
As investigações iniciaram e as autoridades angolanas entenderam que a superlotação se deu por conta de uma briga entre denominações. Para ver quem atraia mais público, as igrejas neopentecostais brasileiras que atuam na Angola investiram pesado no marketing para lotarem os cultos de virada de ano.
Por conta dessa conclusão, a Igreja Universal do Reino de Deus teve suas atividades suspensas no país por 60 dias. Após o período os cultos no Cenáculo do Espírito Santo voltaram a acontecer normalmente.
Em compensação outros ministérios tiveram o direito de funcionar no país negado e precisaram fechar suas portas. As denominações que foram suspensas pelo governo foram Igreja Mundial do Poder de Deus, Igreja Mundial Renovada e Igreja Evangélica Pentecostal Nova Jerusalém.
Segundo o jornal “O País” o caso está nas mãos da Procuradoria-Geral da República que está aprofundando as investigações para reconhecer as responsabilidades civil e criminal do caso e definir as punições.
por Leiliane Roberta Lopes / fonte gospel prime



Nenhum comentário: